Cavaleiro da Lua: primeiras impressões (sem spoilers)

Estreou anteontem, na Disney+, o super antecipado Cavaleiro da Lua, lançamento da Marvel com o queridinho da internet, Oscar Isaac. Por enquanto, só o primeiro episódio está disponível para streaming, e é dele que vêm estas primeiras impressões.

Oscar Isaac conquistou o grande público depois de interpretar Poe Dameron na saga Star Wars. Muito mais que um rosto bonitinho, Isaac demonstra enorme versatilidade, como dá para perceber ao comparar suas performances em Duna e Ex_Machina — um talento muito necessário para interpretar o turbulento protagonista de Moon Knight. Como dava para esperar, o ator não desaponta agora no MCU; apenas surpreende.

Crédito: Marvel Studios

Na minissérie, Steven Grant é um típico Zé Ninguém. Talvez um pouco menos típico do que você e eu, por certas excentricidades. O importante é que o jeito de Isaac encarnar esse cara cria na gente empatia imediata. Você gosta desse esquisitão e torce por ele desde o primeiro momento.

Nada de Nova Iorque, Los Angeles ou São Francisco. A vida pacata de Steven se passa em Londres. Pelo menos quando ele está consciente, e não acordando em algum canto da Alemanha sem saber como foi parar ali. Isso significa algum distanciamento da americanização que costumamos ver nas plataformas de streaming. Não são as mesmas locações de sempre, nem os mesmos sotaques e senso de humor. É um alívio.

Crédito: Marvel Studios

Diferente do que aconteceu na maior parte de Homem-Aranha: Sem Volta para Casa, a Marvel acerta no humor dessa vez. Nada muito pastelão ou infantilizado — é levemente engraçado sem tentar demais.

Quem nunca quis deuses egípcios bem retratados num filme ou seriado? (Deuses do Egito, estamos olhando para você.) A trama de Moon Knight gira em torno da mitologia egípcia, e com o compromisso de fazer as coisas direitinho, como o diretor do seriado deixou claro em várias ocasiões.

Mohamed Diab (crédito: Marvel Studios)

Mohamed Diab é conhecido por filmes centrados em questões sociais do Egito, onde nasceu. O primeiro diretor árabe do MCU quer abordar seu país com maior autenticidade do que a mídia americana costuma fazer, inclusive confessando suas insatisfações a esse respeito em entrevista à revista SFX.

Na minha proposta [sobre o seriado], havia uma grande parte sobre o Egito e como ele foi retratado de forma inautêntica ao longo da história de Hollywood. É sempre exótico — chamamos essa prática de orientalismo. Isso nos desumaniza. Estamos sempre nus, somos sempre sensuais, somos sempre maus, somos sempre exagerados.

Via Complex

A fotografia de Cavaleiro da Lua é linda. E Diab também acerta no ritmo da narrativa, imergindo a gente na história de Steven facilmente, e nos deixando com gosto de quero mais.

Crédito: Marvel Studios

Por enquanto, o único problema da minissérie são os efeitos especiais. Os mais simples estão bem executados e até bonitos, mas o CGI desaponta um pouco, especialmente na iluminação, evidenciando irrealidade ou deixando ultra sombrio o que a gente mais gostaria de ver. Mas não é o tipo de coisa que desagrada todo mundo, e até o CGI vem recebendo elogios por aí.

Trailer oficial

Uma ótima notícia é que você não precisa estar inteirado do que rola no MCU para acompanhar o seriado. Apesar de a produção antecipar Easter-eggs e referências, ninguém vai ficar perdido se cair de paraquedas em Cavaleiro da Lua, que promete ser a coisa mais interessante que a Marvel trouxe para o streaming em muito tempo.

AVALIAÇÃO:

Avaliação: 3.5 de 5.

NOW PLAYING:

Nobody is listening – Zain Malik

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: